quarta-feira, setembro 20, 2006

É sorrir e acenar



Atendo mais uma vez um casal, que se quer divorciar, no meu escritório... melhor dizendo, ele quer!
Resultado: a mulher passa-se, vai alternando entre o racional, emotiva, vingativa e novamente racional.
O senhor divórcio faz o papel do todo calmo: «paz; vês, foi sempre isso que esteve na origem dos nossos problemas; Acalma-te, cenas aqui não; Vá lá, fala baixo; É tudo como tu quiseres; Eu só não te quero causar problemas».
Moral da história: ele pensa que está a fazer um papelão... e a mim só me apetece dizer à mulher descontrolada: «Feche aí a porta que a gente espanca-o aqui...e depois é a palavra dele contra a nossa e não há testemunhas.» É que é tão claro que ele é infiel!!!
Mas lá sorrio e digo «pois, o que é preciso é manter a calma e a elevação... o sr. tem razão!»
Dassss visualizo mais uma vez a cena em que o espancavamos muito... e penso, como os pinguins do Madagascar: «É sorrir e acenar...é sorrir e acenar!»

2 comentários:

Onde há Galo... disse...

Já deu para ver que é Advogada. Dass!!! Cruzes, canhoto. Ok. quando estavam a ser lidos os 10 mandamentos e chegou o 7º (não cobiçarás a mulher alheia), surgiram grandes protestos, algazarra, distúrbios na via pública, corpo de intervenção presente, balas de borracha, canhões de água, etc. quando surge a revelação: calma, isto é o que diz a Lei. Esperemos pela Jurisprudência...

Seja bem vinda.

Anónimo disse...

Oh Doutourasinha

Conte lá melhor essa do S. Bernardo ter ido à Alemanha buscar o Diploma.

eXTReMe Tracker