domingo, outubro 22, 2006

Parabéns nasceu o seu enfarte e os seus gases deram hoje o primeiro passo!

O nascimento de uma criança em Espanha pode muito bem ser um erro de casting, um enfarte ou meramente gases.

Esta semana uma cidadã de origem cabo-verdiana ao sentir que sofria um enfarte, procurou ajuda e afinal para espanto de todos, o enfarte tinha perninhas e bracinhos. Acabou por se curar o enfarte com o nascimento imediato de um bebé prematuro (6 meses), sem que a mãe soubesse que estava grávida.


Na mesma semana, igualmente em Espanha, uma cidadã de origem chilena, de 43 anos de idade, regressou ao médico com uma crise de gases e sintomas da sua menopausa precoce, como lhe diagnosticara a sua médica espanhola. Pois bem, os seus gases tinham a particularidade de chorar e gostar de mamar e por isso resolveram nascer - igualmente sem que a mamã soubesse sequer que estava grávida.
Pois bem, neste caso fomos todos alertados porque as mamãs eram de origem «não espanhola», mas imaginem só os gases e os enfartes que os espanhóis nos escondem por aí! E depois ainda nos querem anexar! Eu imagino o quanto eles devem ficar maravilhados pelo facto de nós conseguirmos prever quando é que daí a nove meses vai nascer um novo cidadão!
dass

2 comentários:

Onde há Galo... disse...

Já estou aflito. Por causa do problema que arranjei, pouco respiro, não tusso, não espilro, não arroto, não pei#&%$, nada de expelir gases que originem contracções musculares a nível "peitoral". Ou seja, flatulência aqui é mato. Com a proliferação de médicos "nuestros hermanos" nos nossos hospitais, enquanto isto não passar não vou às urgências... Cruzes, canhoto. Mais a mais quem desonrou a família foi ela, que ficou por cima.

Jorge Ortolá disse...

Eu já tinha uma ideia de que de Espanha não vinha boa coisa, mas gases ???

Então não é cheiro a celulose, mas sim a espanholose...

eXTReMe Tracker