sexta-feira, outubro 17, 2008

Post pequenino...

Este post é quase como a minha ida ao Bergantim... demorou, mas quando lá cheguei, a noite para mim não tinha fim... não fosse eu ter ido com dois cotas, que me obrigaram a sair sem sequer ouvir o Plug in Baby!... Desde que a malta foi para a fila da Torreira, ver sair gajos de maçarocas, comer pistáchios a ouvir «baláuse», não ver fogo na ria nem no mar, mas ver grandes festas ao longe... ou isso, ou eram zonas industriais e as psicadélicas eram ambulâncias!... nunca mais houve recuperação. Daí que eu andasse por aqui... a apreciar os comentários e os reptos.
Neste tempo resolvi fazer pela vida e rumar ao ginásio... já que não havia férias e não se trabalhava para o bronze, havia de se trabalhar para o corpo!
Tem sido a loucura, saldo positivo... em 3 meses fui a 4 aulas e numa ainda dei um calote! Sem falar no calote do primeiro lanche antes do ginásio... comi, bebi, estava equipada de linda e grande carteira ao ombro, porta-moedas... esperem, porta papéis de multibanco, porta-cédula, porta-lixo... ooopppssss não porta-euros, estava bom obrigada... mas não tenho cheta!
Esta coisa do gináso até é giro, uma mulher sente-se logo uns kgs mais magra só de andar a passear a toalha com ar de quem tem uma vida moderna e saudável... sai-se do trabalho e vai-se para o ginásio... hummm nitidamente citadino, qual série, qual movie... somos as maiores! Se eu fosse gajo queria uma gaja assim... dass, basta pensar em ser macho e começo logo a mentir!!!! Ahh gene tramado!
Ora vamos lá ver... problema n.º 1 horário: não é bem comigo. Sim, podem dizer que sou uma atrasada! Mas eu tenho culpa de ser acusada de não ouvir «devagar, devagar...»? Depois interiorizo. Não quero chegar primeiro a lado nenhum. Quando eu chego adiantada... não parto tudo por um triz!
O ginásio tem um outro problema é que eu gosto de falar... e no ginásio não se pode falar, cumprimentamo-nos todos com um aceno de cabeça de lábios esbranquiçados, tudo a encolher a barriga e a não respirar para não insuflar o pneu!
Depois há a outra categoria de frequentadores anfíbios e anfíbias... só músculo, nem uma casquinha de laranja... que olham para nós com ar de quem diz: «desleixada! Eu sou mesmo boa!» Amiga... a diferença entre nós é que com essa conversa tu é fufa... e com estes quilinhos eu sou fofa!
Obviamente que quando dizemos que vamos ao ginásio há sempre umas amigas que fazem encomendas e mandam recomendações a um ou outro instrutor com quem gostavam de fazer exercício. Pois bem, aula n.º 1, pensei: já que tenho de passar o tempo sozinha, ao menos hei-de lavar a vista! Toma! Dass o tipo tinha as pernas depiladas!!! Pior, com aquele aspecto luzidio que têm as carecas dos carecas, mesmo carecas! Ai valha-me Zeus! Dá para entender que para eu me sentir vingada era suposto olhar para um homem???? Aposto que usas o mesmo modelo de cinto de ligas que eu! Credo!
Por falar em roupa... há quem vá ao shopping de fato-de-treino... eu não gosto, não vou, mas tolero. Agora dá para entender que eu pequena, nada magra... não me dou bem com fatos de treino e sapatilha... sim, aquela coisa larga, sem salto! Então mas eu de vestido e salto alto não estava muito mais à vontade????
Basicamente a minha primeira fatia de dignidade sai quando me equipo. Mas a meio da aula, quando a malta até começa a olhar para nós e começamos a perceber que afinal já estamos elegantes e sexys, de tal maneira que ninguém consegue despregar olho... encolhemos ainda mais a barriga, e pensamos... hummm como é bom impressionar, mesmo com este ligeiro ardor nos olhos... a segunda tranche de dignidade não sai em fatia... sai em borrão! Que é o que acontece porque a maquillagem que não tive tempo de tirar começa a derreter... e quando se passa a mão no queixo e o suor é preto de rimel... ficamos a saber que estamos a fazer uma grande figura!
Mas não desisto à primeira. Eu mulher... naturalmente havia de ter alguma curiosidade para experimentar Pilates... o nome era interessante, e nem sequer se escrevia com um «p» pequeno... É isto!
Se o P era grande e eu chego à sala e havia bolas gigantes por todo o lado... e espelho a toda a volta! a coisa prometia! Hummm mas à vontade, mas não à vontadinha... começa a chegar gente, e mais gente... coisa de grupo... declaro: vim só para ver! Mas rendi-me e... já que vim...
Primeiro choque: a bola era para usar no exercício... e eu pensei. Ai que fraca figura. Eu sou o elemento que, mesmo criança, quando resolviamos brincar a enviar uma bola de uns para os outros, em roda, com a tirana intenção de não quebrar corrente, permitia a toda a gente duas pausas... que eu sou pelo descanso! A pausa de atiraram-me a bola... ela foi ao chão e vou a correr apanhá-la... e a pausa do, não sou só eu que sou naba, porque a pessoa a quem eu passo a bola, curiosamente, nunca a apanha... fica longe. Mas considerando o tamanho da coisa, até achei que a bola era tão grande, que aquela eu havia de apanhar!
Quem não sabe copia! Toda a gente foi buscar uma bola... eu fui também. Toda a gente foi buscar um colchão... e eu fui também... senti falta da minha almofada, mas não me neguei. Toda a gente tirou as sapatilhas... e eu partilhei o cheiro.... entra uma tipa com um cuecão da avó por cima de umas calças largas, eu arregalei os olhos e pensei... Alto! mesmo que tu tires isso eu não vou baixar a calça para tirar nada, seja lá o que for o Pilates!
Ora, ora... o ser humano é um ser muito evoluído. Até as pobres focas já aprenderam que a bola é para dar toques com a cabeça ou o nariz, para transportar debaixo do braço... naquela aula o pessoal insistia em sentar, levantar, rodar, esticar... em cima da bola! Perfeito! Fácil! Pillates é comigo... mas dá pra me atribuirem um puf quadrado??? A lei da gravidade já foi descoberta. O facto de eu cair 30 mil vezes de uma bola abaixo não torna a ciência mais rica! E a sorte da amiga que ficou à minha frente é que sempre que a minha bola se cansava de ser chocada por mim e resolvia ir em direcção ao moder foca do professor, ela estava no caminho... mas a bola não era dura. Estão a ver a selecção ao poste, à trave, ao poste?... eu também gosto de variar... às costas da companheira da frente, à cabeça da companheira da esquerda, às pernas da companheira da direita!
Estava eu a pensar se era importante esforçar-me para me equilibrar, quando o homem desenvolve a ideia: o equilíbrio na bola é importante, para não perdermos o controlo e não provocarmos acidentes quando conduzimos o automóvel e nos assustamos com alguma coisa. Porreiro pá! Eu não tenho carta de condução. Agora é que eu descobri porquê.
A coisa já estava a correr bem. Só podia melhorar. Pedem-nos para dizer uma palavra começada por cada uma das letras que compõem a palavra Pilates! «Postura» (só se for torta!), Íntimo (afinal não fui só eu que reparei nas cuecas da outra), chegou a vez do professor «Harmonia» (alto! Isto é pilHates? Irra que estou outra vez na aula errada).
Mas para ficar ainda melhor... ouço uma simpática partilha de experiências... uma aula de pilates, hidroginástica e body jump é garantido para «limpar a tripa». Tudo isto soa muito melhor quando a música é de relaxamento... se não fosse, imagino que o desafio activia fosse «arrear o calhau»!
Outra coisa boa no ginásio é o balneáreo. Há sempre quem resolva passear por lá calmamente o seu penteado de depilação, o seu despenteado de depilação... o seu alerta «sou alérgica a cera e dou-me mal com depiladoras elécticas». Quem inventou a frase «nu com a faca no bolso», nunca foi ao balneáreo feminino ver «nua com a toalha na cabeça».
Ora, eu que gosto de reservar as minhas desgraças tanto quanto gostaria de não ter de ver as das outras... resolvo caminhar para o balneário meia vestida, e já com a trouxa da roupa para trocar após o duche... e zás, eis que mal passo a porta entro num mar de água, duches corridos, tudo à molha e fé em Deus. E nem sequer há sabonete para atirar ao chão que eu uso gel duche... se eu gritar sou fufa, será que consigo tomar duche sozinha???? E a menina que se passeia pelo duche a fazer pose escusa de olhar para mim, só porque eu deixei cair o string rendado no meio do balneário, tenho a roupa de ginásio encharcada e o vestido que ía vestir a seguir já está a boiar no ralo desta coisa!
E já agora... depilação brasileira não é comprar uma gilete made in Brasil... e para teu governo, já espremi bolhas maiores do que esse acne que tens no peito!
Depois disto devia estar terminada a minha aventura no ginásio... mas não, porque eu sou forte! Eis que me atiro a uma aula de pedalar sem sair do sítio. O que é isso de exercitar as pernas para quem compra na tvshop um leg magic???
Primeira aventura... baixar o selim... discretamente ía partindo a bike! Ora, depois de um fora destes a malta está com a moral muito mais em alta!
A aula é coisa fácil, começa com os machos a pedalar furiosamente... é de macho! Começa a doer-me qualquer coisa... posiciono melhor a toalha! Mais cinco minutos e começo a achar que os amigos suam tanto porque tiveram de atar um cordel à ponta de qualquer coisa para a manter em posição contra natura, para cima!
Um minuto a seguir e o tipo que comanda o pelotão que não sai do sítio resolve dizer que é para rodar um botão para a direita para pôr peso... peso? Naquele momento já só se fosse o meu peso morto... rodar para a direita? Fascisóide! Eu sou de esquerda, tira peso! Mais rápido, mantém o ritmo... mais rápido? Mantém o ritmo, LENTO, parece-me melhor!
Esta foi a parte em que cada pedalada... me fazia pensar, o raio da toalha é muito fina, mas porque é que em vez de um string eu não trouxe umas ceroulas almofadadas??? A sorte é que a estrada não tinha curvas, porque passei o tempo todo a levar a mão ao peito para ter certeza de que ainda estavam lá... sim, porque receei que a minha feminilidade desaparecesse ao mesmo ritmo que estava a sentir que era vítima de excisão!
Levanta, senta, levanta, senta, levanta, senta...
Isto era o que ele dizia, na realidade eu pratiquei «Levaaannntttaaaaaa aiiiiiiiiii, S (trás) senta;» E de novo, «levaaaaannnnnttttaaaaaa aiiiiiiiiiiiiiiiiiii, S (trás) senta»... «Só faltam uns segundos..., está quase... afinal ainda vêm mais músicas» Irra, gajo cansativo. Bem que eu tinha ouvido que a música distrái!
Mas porque é que eu quando desejo uma coisa não peço tudo explicadinho??? Anda aqui uma mulher a querer colo, e vai receber colo de uma bike? Foi tanto levantar e cair no selim... que eu desconfio que aguardo bicicletinhos... E já agora, teria sido de costas?
dass

8 comentários:

jg disse...

Que safadeza a mente (minha) humana.
Então não disseco este poste, picanito, e no fim desta aventura, em que perdi meia dúzia de quilos na leitura, o que consegui reter de maior importância foi saber que usas cinto de ligas?!
Bailhamedeus...

jg disse...

Mais, uma mulher que use cinto de ligas está dispensada de ginásio.
Ginásio é para as de meias-calças!!
Uma mulher de cinta de ligas é como uma cisterna de gasolina de 96 octanas. Um gajo quando as sente, fica logo com instintos incendiários.

jg disse...

Nunca tive nada que fosse aprovado tão rapidamente como a publicação do 1º comentário a este poste!!!

jg disse...

Ena, ena!!!
Isto é automático ou estás ao balcão?!!!

jg disse...

É mesmo automático, ora bolas...

Rei da Lã disse...

Isto é quase o testamento político do Pacheco Pereira!

;)

catarina disse...

Grande actividades, heim????

Vê lá se com tanto exercício emagreces até desaparecer (sim, porque estás a um passo disso!!!).

ehehhe

beijocas

Anónimo disse...

Catarina, tomaste as gotas de manhã? A cachopa está com um cabedal mesmo no ponto, e tu vens agora rotulá-la de "pré-anoréxica" ( antes de mandarem bocas à grafia, notem as aspas )?
Ele há com cada uma!!! :)

eXTReMe Tracker